A jogadora de vôlei Tiffany Abreu
A jogadora de vôlei Tiffany Abreu (Foto: Reprodução/Instagram)

A jogadora de vôlei trans Tiffany Pereira de Abreu voltou a se defender das acusações de que representa uma concorrência desleal para as suas adversárias por ter uma estrutura corporal biologicamente masculina, após a sua vitória contra o vôlei Nestlé, quando marcou 31 pontos, mesmo feito de Tandara, mulher cis que joga pelo time Osasco.

Apesar de estar dentro das especificações do Comitê Olímpico Internacional (COI), a sua aprovação tem sido questionada por muitos profissionais da modalidade, porém a levantadora acredita que este argumento não procede. “Se no vôlei existem mulheres boas e homens bons, vai existir transexual boa. Estou aqui apenas por causa do meu talento”, afirmou em entrevista ao site Esporte Fera.

Leia Mais:


Jogos de inverno na Coreia do Sul distribuem 110 mil camisinhas para atletas

Niterói ganha ambulatório para atender pessoas trans

Tiffany também lembrou que outros atletas costumam marcar muitos pontos independente do gênero. “Se colocar a Tandara no nosso time, ou a Bruna Honório (Pinheiros), elas serão muito bem acionadas. Nossa equipe joga assim”, completou.

A jogadora ainda confessou que desde que teve os níveis de testosterona mais baixos, não consegue atacar como fazia antes de passar pela transição. “Não consigo não, não dou conta. Este é o meu máximo, é o que o hormônio me deixa fazer: virar mulher e ter a força feminina”, explicou.

DEIXE UMA RESPOSTA