Fachada da Boate Daza em Campo Grande, MS
Fachada da boate Daza em Campo Grande, MS (Foto: Reprodução/Google Maps)

Dois homens que se identificaram como heterossexuais, afirmaram serem vítimas de “heterofobia” ao tentarem entrar na boate Daza, localizada em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Os rapazes registraram um boletim de ocorrência relatando a discriminação a qual supostamente sofreram pela Casa dedicada ao público LGBT.

O fato aconteceu durante a realização da festa Carnafronte, evento particular que só tinha acesso aqueles com nome na lista de convidados.

Ao terem a entrada barrada, por não serem convidados, os dois homens se sentiram discriminados por serem heterossexuais e não poderem entrar no local. Após o desentendimento, os dois foram até a delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac), onde tentaram prestar queixa contra o fato, porém, crime de heterofobia não está prescrito no código penal. Então, registraram o B.O., por constrangimento ilegal.


Leia Mais: Ex-pugilista Popó rebate críticas após ser visto dançando com trans: “Vai te fu**r”

Frequentadores que presenciaram o episódio afirmaram que em nenhum momento houve proibição da entrada dos rapazes por causa da orientação sexual deles. “Eu estava lá e em nenhum momento a casa destratou eles, apenas disseram que não poderiam entrar, porque não tinham seus nomes na lista.”, relatou um rapaz na página da Daza no Facebook, completando que os homens aceitaram a posição sem maiores ressalvas.

O clube Daza se disponibilizou a comentar o assunto e esclarecer que não houve constrangimento ilegal. Com informações do site “Não é Gay Se”.