bandeira lgbt
Bandeira LGBT (FOTO: Reprodução/Internet)

A ONG internacional Human Right Watch (HRW) divulgou o seu relatório nesta quinta-feira (18), no qual repudiou a decisão da Justiça Federal do Distrito Federal, que permitiu psicólogos a submeterem seus pacientes a terapias de reversão sexual, a chamada “cura gay”. O decreto foi assinado em setembro do ano passado e foi alvo de muita polêmica.

No texto, a organização vai contra a sentença do juiz Waldemar Luiz Cláudio de Carvalho e lembra que Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos recebeu cerca de 725 denúncias relacionadas à violência LGBTfóbica, contra homossexuais e transgêneros, apenas no primeiro semestre de 2017.

Leia Mais:


Após adiamento, mostras contra homofobia são abertas ao público em Botucatu (SP)

Escolas do Ensino Médio passam a aceitar nome social de estudantes

Ainda no relatório, a HRW citou o caso da travesti Dandara dos Santos, morta em fevereiro do ano passado, após ser espancada com socos e pedradas, em Fortaleza, no Ceará e que chocou todo o país. O processo ainda está sob investigação e nem todos os envolvidos foram detidos. A demora para a polícia chegar ao local do crime também foi questionado no documento, e só tomou alguma atitude depois da repercussão.

A Human Rights Watch é uma organização internacional sem fins lucrativos voltada à proteção dos Direitos Humanos. Seus recursos vêm de doações de pessoas físicas e jurídicas, contribuições governamentais, da realização de eventos e da organização de publicações.