bandeira lgbt
Bandeira LGBT (FOTO: Reprodução/Internet)

Um levantamento divulgado pelo Grupo Gay da Bahia (GGB) constatou o aumento de 30% no número de assassinatos no Brasil em 2017, em comparação ao ano anterior. Em dados reais, as mortes pularam de 343 em 2016 para 445 no ano passado.

Ainda de acordo com a pesquisa, um homossexual morre a cada 19 horas em média no país, vítima de LGBTFobia, o que também inclui os suicídios de pessoas que não aceitam a sua própria orientação sexual.

Leia Mais:


Levantamento revela um assassinato de transgênero a cada 48 horas

Jovem gay morre com cinco tiros após briga com suspeito em SP

Assim como nos relatórios anteriores, o estudo mostrou que a tendência para ser cometidos os crimes, continuam as mesmas com 30,8% dos casos com uso de armas de fogo, as armas brancas e cortantes, como facas, aparecem logo depois com 25%. 56% dos homicídios aconteceram em via pública, enquanto 37% foram realizados dentro das casas das vítimas.

Do total das vítimas a maioria eram gays, com o número de 194 (43,6%), seguido de 191 trans (42,9%), 43% lésbicas (9,7%), 5% bissexuais (1,1%) e 12% heterossexuais (2,7%), estes incluídos na lista por ter algum envolvimento com LGBTs, seja por defesa ou frequetarem algum espaço dedicado à diversidade e até mesmo por ser amantes de travestis.

5 COMENTÁRIOS

  1. A midia só tem materias sobre LGBTs… Tenha santa paciencia… Tanta coisa importante e só querem promover ideologia de genero e cia… Midia escrota.

  2. Perguntar não ofende… Porque o (GGB) Grupo Gay da Bahia não conseguiu incluir nessa pesquisa os pastores assassinando homossexuais? O que temos lido e ouvido é que estes (os pastores) são os + “homofóbicos”.

DEIXE UMA RESPOSTA