bandeira lgbt
Bandeira LGBT (FOTO: Reprodução/Internet)

Uma sondagem realizada em Jacarta, na Indonésia, revelou que cerca de 88% dos cidadãos do pais consideram a comunidade LGBT como uma ameaça. O levantamento foi feito entre os anos de 2016 e 2017, e ouviram 1.200 pessoas.

Em dados exatos, o relatório mostrou que 87,6% veem esta parcela da população como algo que pode lhes afetar diretamente, enquanto 79% não gostaria de ter vizinhos LGBTs e 89% não votaria em governantes que não sejam heterossexuais.

Leia Mais:


Jogador é suspenso da Liga de Overwatch após comentário homofóbico contra rival gay

Bruno Gagliasso encara o desafio de se transformar em mulher; confira resultado

A rejeição é justificada em sua maioria por causa de ideais religiosos. 81,5% indicam que tendências homossexuais ainda são proibidas pelas sua respectivas doutrinas, medida que se a aplica a toda as religiões exercidas durante o estudo de opinião, analisado pelo Ade Armando, diretor de meios da consultora Saiful Mujani Research and Consulting.

4 COMENTÁRIOS

  1. Ao invés de moral, ética, caráter ,o que deveria importar para serem pessoas dignas de deuses e doutrinas,os que escrevem os livros religiosos e os que leem tem sérios problemas sexuais.

    • Independente de religião, credo ou qualquer outra coisa. Vejo que quem tem problemas sexuais são aqueles que nascem homem e pensam que são mulheres daí fazem cirurgia para resolver o assunto, ou aquelas que nascem mulher pensam que são homens e semelhantemente fazem cirurgia para resolver o assunto.

      • Não é um problema , nós e´que acreditamos via doutrinas religiosas que só existem sexo masculino com pipi e feminino com ppk. O universo é mais amplo e variado.Precisamos mudar e aceitar isso.

  2. Com certeza no Brasil os mesmos números podem ser usado para representar o pensamento dos brasileiros, só que como a imprensa em geral e as empresas de comunicação são dominadas pelo politicamente correto, ou seja, a visão e vontade deles em querer mudar uma questão natural e cultural aplicando o ponto de partida de uma minoria, nunca publicarão uma verdade dessas. Só que no Brasil não é só por questão de religião.

DEIXE UMA RESPOSTA