Algumas obras da exposição QueerMuseu (FOTO: Reprodução)
Algumas obras da exposição QueerMuseu (FOTO: Reprodução)

A polêmica da censura nas exposições de arte que foi o centro das discussões no Brasil, no ano passado, voltou a ser pauta ao aparecer como tema da redação da prova do vestibular da Fuvest, que foi aplicada neste domingo (07). Os candidatos tiveram que redigir um texto que respondia a seguinte questão: “Devem existir limites para a arte?”

O mote do enunciado resgatou a polêmica em torno da mostra LGBT “QueerMuseu: Cartografias das diferenças na arte brasileira”, que aconteceu em setembro, no Santander Cultural de Porto Alegre, mas foi retirada de cartaz após ceder à pressão dos protestos das redes sociais, a partir de movimentos sociais como o MBL que acusaram as obras de blasfêmia e de fazer apologia à pedofilia.

Leia Mais:


Inauguração de bar LGBT em Salvador é marcada por ataque homofóbico

Defensoria Pública notifica Ratinho após declarações homofóbicas

Os concorrentes à vaga em um curso de uma das maiores universidades do país tiveram que discorrer uma redação a partir da nota oficial divulgada pelo Santander Cultural na época das manifestações. Os futuros universitários também tiveram que responder as provas de português.

O processo seletivo ainda contará com mais duas etapas, que acontecem nesta segunda-feira (08) – quando os candidatos resolvem 16 questões sobre história, geografia, matemática, física, química, biologia e inglês – e terça-feira (09), na qual serão apresentadas 12 questões de duas ou três disciplinas (6 ou 4 questões de cada uma), de acordo com a carreira escolhida pelo vestibulando.

DEIXE UMA RESPOSTA