Bancada Evangélica
Bancada Evangélica (Foto: Reprodução/Instagram]

De acordo com o jornal Estadão, as bancadas evangélicas e católicas do Congresso Nacional devem se apoiar mutuamente nas eleições deste ano para lutar pelas bandeiras que defendem como a contrariedade do casamento homoafetivo, e outros direitos a comunidade LGBT, além de jogos de azar e Eutanásia.

A aliança inédita tem como objetivo alcançar um número que represente os cristãos na sociedade. Os evangélicos fazem parte de 30% da população, e contam com 97 deputados e 3 senadores no congresso, enquanto os católicos tem 48 deputados e deve crescer ainda mais já que tem a meta de eleger 200 parlamentares nas urnas em outubro.

Leia Mais:


Site australiano elege Bolsonaro como o político mais repulsivo do mundo

Pessoas trans recebem apoio jurídico para retificação de documentos em São Paulo

“Os nossos irmãos evangélicos não são nossos adversário e, na medida do possível, estaremos juntos na eleição. Os nossos adversários são PT, PSOL, PSTU e PCdoB, que defendem agenda progressista”, afirmou Paulo Melo (PTN), membro do Movimento Católico Pró-Vida.

Este ano, a frente evangélica pretende reduzir o número de pastores candidatos e incentivar os seus fiéis que fazem parte da base da igreja para participarem da política mais ativamente. A parceria entre as bancadas religiosas já foi selada em Alagoas através da candidatura do deputado Givaldo Carimbão (PHS), da renovação carismática e receberá apoio a sua campanha no Senado.