Arcebispo de Sidney Anthony Fisher
Arcebispo de Sidney Anthony Fisher

2017 pode não ter sido um dos melhores anos para muitos países do mundo, e a Austrália foi um destes lugares que não tiveram um saldo positivo dos meses que passaram. Muitos atribuem ao cosmo, à energia, aos signos, mas o arcebispo de Sidney, Anthony Fisher culpou os gays.

Durante a mensagem de Natal aos fiéis, o religioso atribuiu o ano horrível à aprovação do casamento igualitário em novembro. “Às pessoas de fé, afirmo que este foi um ano terrível. Nossas concepções cristãs de amor e vida foram desafiadas pelo casamento gay e discussões de aprovação da eutanásia na política. A liberdade religiosa na Austrália põe em xeque crimes terríveis cometidos contra nossa igreja”, disse.

A declaração de Fisher, claro, repercutiu entre os movimentos LGBTs australianos que condenaram a fala do sacerdote. “É uma comparação absurda, mas não esperamos qualquer apoio do arcebispo. Mesmo assim, é triste que ele continue condenando as pessoas.”, disparou Rodney Croome ativista LGBT.


Leia Mais:

Tatuadora lança projeto que cobre gratuitamente cicatrizes de violência homofóbica

Homem mata ex-namorado por ciúmes em local de pegação em Brasília

“De qualquer forma, ele está certo quando afirma que os jovens devem responder e corrigir todos os erros porque é justamente o que está acontecendo: a maioria esmagadora dos jovens votou a favor do casamento igualitário, inclusive os católicos”, completou.

Vale lembrar que cerca de 13 milhões de cidadãos (79% da população) disseram sim ao plebiscito que determinou a aprovação do Projeto de Lei, que regulariza a união civil entre pessoas do mesmo sexo.


  • Ronald Santtos

    Está correto. Isto desafia Deus e só temos a perder