Margaret Court
Margaret Court (Foto: Divulgação)

Conhecida mundialmente por vencer 24 títulos no Grand Slams de simples, se tornando a maior campeã da história no tênis, Margaret Court não irá comparecer a edição deste ano do Aberto da Austrália, marcado para acontecer no próximo dia 15. A baixa, ocorreu após a tenista de 75 anos fazer declarações LGBTfóbicas, o que resultou em muitos protestos.

Apesar de receber o convite dos organizadores, a atleta respondeu que não irá comparecer pois irá pescar. Atualmente pastora evangélica, Court – que tem seu nome na segunda quadra mais importante do complexo de Melbourne Park – causou polêmica nos últimos anos ao falar sobre seu posicionamento a respeito da comunidade LGBT e do casamento gay.

Leia Mais:


Índia pede revisão de lei para descriminalizar a homossexualidade

Inauguração de bar LGBT em Salvador é marcada por ataque homofóbico

Em entrevista no ano passado, a lenda do tênis afirmou que a modalidade a qual almejou o sucesso está cheia de lésbicas, e que poderia ajudá-las a superar o “desvio” na sexualidade. Além disso, ela já chegou a boicotar uma companhia aérea que apoiava a união de pessoas do mesmo sexo e também disse que crianças transgêneros são “obras do demônio”. As informações são do GloboEsporte.com.

A reação da categoria foi imediata e chegaram a sugerir que o nome da homenageada fosse retirado da quadra. Outros foram além e propuseram o boicote ao espaço, o que para Court refletiria mal nos prórpios jogadores.”Eu acho que isso é mesquinho. Se eles fizerem é porque isso está em seus corações. Acho muito infantil. Mas isso não depende de mim, então não me afeta”, disse na ocasião.