Assim como o HIV Detect Oral, o Saliteste detecta o vírus através de amostras de saliva
Assim como o HIV Detect Oral, o Saliteste detecta o vírus através de amostras de saliva (Foto: Ebram Produtos Laboratoriais/Divulgação)

Assim como o novo medicamento que passa a ser distribuído pelo Governo Federal a partir deste mês para o tratamento preventivo do vírus HIV, dois autotestes aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Pública (Anvisa), serão disponibilizados nas farmácias do Brasil e poderão ser feitos em casa, através de mostras de saliva.

Produzidos por empresas brasileiras de São Paulo e Minas Gerais, o “HIV Detect Oral” e o “Saliteste” coleta uma quantidade de saliva retirada da gengiva, com a ajuda de um swab – instrumento parecido com um cotonete. A agência alerta que o exame só dá certo se for feita uma amostra com quantidade suficiente para não dar um falso negativo.

Leia Mais:


CFP aprova resolução que orienta categoria a não tratar transgêneros como doença

DF apresenta aumento em casos de HIV entre jovens e idosos, aponta balanço

Após se submeter ao teste, é necessário aguardar cerca de 20 minutos para ser lido o resultado. Porém, vale lembrar que a sorologia é apenas detectada após três meses da exposição do vírus no sangue, devido à janela imunológica.

A Anvisa já havia aprovado um outro autoteste para detectar o vírus em maio deste ano, mas diferente deste exame, ele detectava o HIV através de uma gota de sangue. Em caso de resultado positivo, é recomendado que haja uma confirmação por exame laboratorial.