Polícia prende gays praticantes de BDSM na Indonésia

Apesar de não ser considerada crime, autoridades prendem gays pela lei anti-pornografia
Apesar de não ser considerada crime, autoridades prendem gays pela lei anti-pornografia (Foto: Reprodução)

A polícia da Indonésia prendeu quatro homens gays acusados de disseminar conteúdo considerado “imoral” nas mídias sociais. Sem ter o nome revelado, um deles, identificado apenas como A.M., de 42 anos, mantinha um perfil no Facebook, onde oferecia serviços como Bondage, Dominação, Submissão, Sadismo e Sadomasoquismo, muito representado pela sigle BDSM.

As autoridades locais afirmaram que A.M. veiculava fotos e vídeos nas redes com “conteúdo explicitamente imoral com a classificação BDSM”. Os detidos ainda tiveram que utilizar sinais no pescoço no qual apareciam os dizeres “Mestre 1”, “Escravo 1”, “Mestre 2” e “Escravo 2”.

Leia Mais:


Decisão judicial impede que pessoas trans possam se casar na Bolívia

Colunista afirma que Daniela Mercury cobrou cachê para se apresentar em Parada LGBT; cantora desmente e estuda processo

Com os homens também foram aprendidos equipamentos de BDSM, que pertenciam a A.M e também N.H outro acusado, que seria massagista há pelo menos 30 anos. Há grandes chances dos acusados terem sido presos pelo simples fato de serem homossexuais.

Porém, todos iram responder sobre atentado contra a lei anti-pornografia em vigor por lá. Apesar de não ser bem vista, a homossexualidade não é considerada crime no país asiático. A operação anti-gay que cerca de 200 homens foram presos somente este ano na capital, Jacarta, após serem flagrados em locais como saunas e festas.


DEIXE UMA RESPOSTA