Militares gays
Militares gays ´[Foto: Reprodução/XTube]

Um marinheiro das bases navais de Faslane e Coulport em Argyll, no Reino Unido, recebeu uma punição um tanto bizarra, após não conseguir realizar um teste de leituras de mapas. Ele foi obrigado a assistir a um filme pornô gay, enquanto se masturbava na frente de outros colegas. O caso aconteceu entre maio e agosto de 2014.

O episódio está em julgamento no tribunal de Portsmouth. A vítima não pode ser identificada por razões legais, mas afirmou que tentou recusar a ordem dos seus superiores e foi ameaçado, caso não fizesse o que estava sendo mandado.

“Na ocasião, houve um teste de leitura de mapas que era muito difícil e muita gente falhou. Nós ficamos alinhados na frente da sala e os cabos estavam na parte de trás começaram a dar ordens. Todos riram quando o cabo Foster nos disse que íamos ver pornografia gay”, alegou.


Leia Mais:

Justiça do Egito condena 14 pessoas por serem homossexuais

Pessoas trans podem requisitar nome social em carteiras de motorista no Rio

O jovem ainda continuou descrevendo a prática abusiva. “A pornografia que nos mostraram envolvia soldados. Eles também afirmaram que a última pessoa a ejacular sofreria outras consequências”, contou.

Ele ainda lembrou outras punições, muitas vezes decididas por jogos de azar ou “verdade ou consequência”. “Havia também uma barra de metal no ginásio em que nos penduravam e éramos chicoteados”, denunciou.

Os cabos Danny Foster, de 30 anos, e Philip Beer, de 34, foram apontados como os responsáveis pelas punições, e estão em julgamento no tribunal militar de Portsmouth. Ambos negaram as acusações.