Professor
Professor (Foto: Divulgação)

Uma escola de seguimento religioso, na Austrália, decidiu demitir um dos professores do seu quadro de funcionários, após os alunos descobrirem que ele era gay. O caso se tornou polêmica na mídia local, e acendeu o questionamento se instituições de ensino teriam o direito de demitir seus profissionais por causa da sua orientação sexual.

Os boatos a respeito da sexualidade de Craig Campbell começaram após, ele publicar uma foto ao lado de um homem em suas rede sociais. Logo, os estudantes começaram a especular que aquele seria um namorado. Após toda a repercussão no seu local de trabalho, o docente resolveu  confessar que realmente era homossexual, o que culminou a sua demissão sem direito a aviso prévio.

Leia Mais:


Escócia registra aumento no número de adoções por casais gays

Justiça dos EUA condena universidade a pagar indenização milionária à professora por transfobia

O diretor da escola Dess Mitchel alegou que apesar de ser amado e respeitado pelos seus alunos, Craig, mas que o colégio entendia que relacionamentos se estenderiam apenas entre homem e mulher.

“A imagem que publicou criou interesse na vida pessoal dele, incluindo a questão da sexualidade. Eu compartilhei com ele que, no momento, há uma inconsistência nas crenças que ele possui sobre a sexualidade e as crenças de nossa instituição”, afirmou ao portal The West.