Ivan, Carol Duarte, em A Força do Querer
Ivan, Carol Duarte, em A Força do Querer [Foto: Reprodução/TV Globo]

O drama do personagem Ivan (Carol Duarte), que se descobre transgênero e resolve passar pela transição na novela A Força do Querer, acendeu o debate a respeito do assunto na sociedade. Porém, os mais conservadores insistem em condenar a situação e o pior, tentam vetar a reflexão de outros.

Como é o caso de uma professora no Rio de Janeiro. De acordo com a coluna, Gente Boa, do jornal O Globo, ela proibiu os seus alunos, do sexto ano de uma escola no Leblon, de escreverem uma redação com a personagem do folhetim de Gloria Perez como tema. O mais contraditório é que a atividade tinha como proposta falar sobre justamente os assuntos abordados na trama.

Veja Também:


ONU condena decisão judicial que autoriza”cura gay”: “decepcionante”

Drag baiana é a primeira a representar o Brasil em concurso internacional de maquiagem

O problema teve início após todos os alunos escolhessem para escrever sobre a trajetória do filho de Joyce (Maria Fernanda Cândido). A docente logo barrou a proposta justificando que “Este não é assunto para uma escola católica”.

Com a censura, a professora sugeriu que os alunos falassem sobre a personagem Bibi (Juliana Paes), mulher do bandido Rubinho (Emílio Dantas), que abdicou de um futuro promissor para seguir o marido fora da lei.