LGBTfobia
LGBTfobia (Foto: Reprodução)

A Polícia de Londrina admitiu que cinco mortes de homens recentemente, foram alvos de armadilhas causadas com o uso de aplicativos de relacionamento. As vítimas eram homossexuais, e marcaram um encontro com o assassino através de smartphones.

Um dos casos mais recentes foi do agente educacional Antônio Maximiano Filho, de 30 anos, que foi encontrado morto no final de setembro. Ele desapareceu na saída do trabalho, por volta de 23h20, e foi encontrado morto dois dias depois em um milharal com sinais de tortura. Seus pertences, como carro e cartões bancários foram encontrados com o autor do crime.

Leia Mais: 


Ivan vai aparecer sem camisa no final de A Força do Querer

Dez cliques de Pabllo Vittar sem peruca

De acordo com o delegado da 10ª Subdivisão Policial de Londrina Osmir Ferreira Neves Júnior, o uso de aplicativos facilita a ação dos bandidos. “As pessoas marcam encontros sem imaginarem que estão indo ao encontro da morte. Os assaltantes se apresentam como garotos de programa, mas na verdade têm a intenção de roubar.”, explicou ele.

O delegado acredita que o número de assaltos e outras violências são ainda maiores, já que a maioria das vítimas preferem não fazer o registro do Boletim de Ocorrência por se sentirem constrangidas. “É importante evitar encontros em lugares ermos e escuros e nunca marcar com pessoas que não conhecem.”, alertou.

Com informações da Revista Lado A.