bandeira lgbt
Bandeira LGBT (FOTO: Reprodução/Internet)

A homofobia fez mais duas vítimas e desta vez com pessoas de fora da comunidade, o que prova que todo mundo está suscetível a este mal. Duas mulheres, mãe e filha, foram confundidas com um casal lésbico em um shopping de Brasília e sofreram agressões tanto verbais quanto físicas.

O caso foi relatado por Solange Afonso, de 47 anos, em um post publicado em seu perfil no Facebook. De acordo com ela, o episódio aconteceu na última quinta-feira (28), enquanto saía do cinema junto com a sua filha, de 20 anos, quando um homem de 55 anos as parou para agredi-las.

“Ontem eu fui a um cinema, às 20h18 era a sessão, eu fui com a minha filha de 20 anos. Na saída do filme apareceu um louco que achou que a gente era um casal e simplesmente começou a agredir nós duas. Começou com agressão verbal: chamou a gente de cretinas e safadas porque ele achou que éramos um casal gay”, declarou Solange em um vídeo na rede social.


Ela ainda relatou que acabou machucando o rosto em meio à confusão, além de pedir para que os seguranças do Shopping detivessem o homem para que fosse feito um Boletim de Ocorrência. “Eu reagi e xinguei também. Chamei os seguranças e pedi para deterem ele que nós iríamos para a delegacia. Na confusão, ele bateu, não sei se foi um relógio, alguma coisa no meu rosto.”, acrescentou.

Leia Mais:

David Brazil se fantasia de Pabllo Vittar e o resultado é hilário

Lutador Fabrício Werdum se desculpa após xingamento homofóbico em discussão

“Gravei esse vídeo para dizer que isso tem que acabar. Eu não sou gay, mas me botei no lugar de todas as pessoas que eu conheço e que só querem ser feliz e viver a vida delas”, afirmou.

A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP) informou que as vítimas, assim como o autor, foram encaminhados para a 5ª Delegacia de Polícia Militar, onde foi registrada uma queixa de injúria e lesão corporal. O homem assinou um termo de Compromisso de Comparecimento do Juizado Especial Criminal e foi liberado em seguida. As informações são do jornal Extra.

Assista ao depoimento de Solange: