Igreja Católica vai investigar vida de candidatos para evitar padres gays

Padre
Padre (Foto: Reprodução)

Diante dos escândalos de pedofilia e pegação gay que tem rodeado o nome da igreja Católica ultimamente, a nova lei do Vaticano é que os candidatos a seminaristas sejam investigados para evitar problemas futuros desta natureza. As informações são do jornal de Notícias.

Os aspirantes a sacerdotes serão submetidos a testes psicológicos e terão o seu futuro investigado. Padres com tendências homossexuais, pedófilas ou com doenças mentais. A ordem foi feita em um decreto da Congregação para o clero intitulado “o som da vocação presbiterial.”

Leia Mais:


Conheça a líder alemã Alice Weidel, lésbica assumida que é contra o casamento gay

Assista ao polêmico vídeo das crianças crentes cantando uma música contra os transgêneros

O encontro acontecerá entre os dias 13 e 16 de novembro em Fátima e terá obrigatoriamente que ser executado em todos os países. “A Igreja não pode admitir aqueles que praticam a homossexualidade, apresentam tendências homossexuais profundamente radicadas ou apoiam a chamada cultura gay”, diz o jornal.

Os testes avaliarão a história de vida dos candidatos, assim como a sua relação com a família que também será consultada. Caso tenha sido feita terapia em algum momento da vida também sera levado em consideração.

“Convém que se realize uma avaliação psicológica, seja no momento da admissão ao seminário seja no período sucessivo, quando isso pareça útil aos formadores”, justifica o documento.

 


DEIXE UMA RESPOSTA