Em vídeo compartilhado nas redes sociais, funcionárias tiram sarro de paciente gay por ser torcedor do Corinthias
Em vídeo compartilhado nas redes sociais, funcionárias tiram sarro de paciente gay por ser torcedor do Corinthias (Foto: Reprodução/Facebook)

Os moradores da cidade de Embu-Guaçu, na região metropolitana de São Paulo, começaram a compartilhar um vídeo no qual mostra dois funcionários da Unidade Mista de Saúde do município debochando de um paciente assumidamente gay, que seria torcedor do Corinthias.

Anderson A.G. teria procurado o pronto atendimento, após ter levado uma facada na barriga, de um homem desconhecido que, segundo ele, surgiu “do nada” em uma rua. Nas imagens, uma suposta funcionária do hospital questiona se o agressor teria enfiado apenas “a ponta da faca”. A vítima então, exibe o ferimento, e logo um deles faz pouco caso com a gravidade do corte. “Foi só isso aí, Anderson? Você está bom”, diz.

Mesmo vestido com a camiseta do Corinthias, o profissional de saúde pergunta para que time de futebol o paciente torce. Apesar de apontar para o escudo do clube paulista, o funcionário insiste que ele diga o nome do time.


Nas redes sociais, os familiares de Anderson questionam a postura dos funcionários. Ao R7, A prefeita de Embu-Guaçu, Maria Lúcia (PSB) afirmou que irá investigar o caso para tomar as providências cabíveis.

Leia Mais:

Pastor Marco Feliciano cria projeto de lei que pode proibir shows de Madonna e Lady Gaga no Brasil

Sam Smith e ator de 13 Reasons Why são flagrados aos beijos em Nova York

Outro vídeo que começou a ser compartilhado na internet, mostra um homem detido na viatura da Guarda Civil Municipal (GCM), que alega ter esfaqueado Anderson, depois que ele tentou roubar dinheiro dele. Ainda na gravação, um policial tira sarro da situação com o suspeito. “‘Ela’ [Anderson] queria roubar o dinheiro ou o coração do senhor?”

Anderson deu entrada na Unidade Mista de Saúde no dia 27 de setembro, às 19h, vítima de acidente de arma branca, levado pelo Samu. Porém foi embora sem aguardar a alta médica, mas foi obrigado a retornar por volta das 6h do dia seguinte também levado pelo Samu, já em estado considerado grave, o que fez necessário a sua transferência para o Hospital Geral de Itapecerica da Serra (HGIS), por causa da gravidade de seu estado. A prefeitura afirma que Anderson não estava bem no dia que foi feita a gravação, diferente do que o funcionário da Unidade havia dito no vídeo.

O governo municipal afirma que, o rapaz deveria ter ficado na unidade em observação, para que o seu quadro de saúde não se agravasse. Segundo a prefeitura de Embu-Guaçu, Anderson que passou por exames clínicos e uma cirurgia, se encontra melhor e continua internado.