Pastora Sarah Sheeva
Pastora Sarah Sheeva (Foto: Divulgação)

A pastora e cantora Sarah Sheeva fez críticas ao modelo de feminismo atual, em entrevista à Daniela Albuquerque no programa Sensacional, da Rede TV!, exibida nesta quinta-feira (05). Para ela, homens e mulheres não devem ter direitos iguais.

“Hoje não é mais como lá atrás, hoje ele [o feminismo] está tentando conseguir uma vida igual em áreas que não somos iguais aos homens. Nós temos uma carga de desgaste como mulheres muito grande, então meu desejo é ensinar a elas o seguinte: direitos iguais em tudo não é legal. Eu, particularmente, não quero direitos iguais, quero o direito de ficar em casa, trabalhando menos e ele, por favor, trabalhe mais, mas vai ver como os homens estão: encostados, preguiçosos”, afirmou a filha de Baby do Brasil.

Leia Mais:


Movimento LGBT apresenta carta da diversidade no Congresso

Mulher trans se torna a primeira em João Pessoa a mudar gênero sem cirurgia

Idealizadora do culto de princesas, que ensina mulheres a se comportarem com costumes tradicionais, Sarah revelou que está há mais de dez anos sem sexo, e contou detalhes de como faz para vencer a tentação. “No início foi muito difícil, depois fui conseguindo vencer. Eu não pratico masturbação. É difícil para caramba. Eu, por exemplo, não vejo certos filmes para não despertar pensamentos, não faço certas atividades”, confessou.

O motivo para tanto tempo sem relações sexuais é a decisão que tomou após se converter ao evangelho, que só voltaria a se entregar ao seu marido. “No meu caso, que venho do mundo, não nasci na Igreja, não sou uma mocinha virgem que nunca experimentou nada, eu tenho memórias. Se eu beijar na boca, é igual ferro: liga em cima e esquenta onde? (risos). É uma luta, gente! Então para que vou começar a esquentar uma parada que não posso esfriar? Só vou pegar na mão no dia do meu noivado, meu namoro será bem radical”, explicou.