Casal é julgado pela morte de menino de 8 anos por pensar que ele fosse gay

Gabriel Fernandez, morto pelo padrasto, em 2013
Gabriel Fernandez, morto pelo padrasto, em 2013 (Foto: Reprodução)

O julgamento da morte de um menino de apenas oito anos, em Los Angeles, na Califórnia, teve início na última segunda-feira (16). O assassinato aconteceu em 2013, a mãe Pearl Fernandez, e o seu namorado, Isauro Aguirre, de 32 anos, são os principais acusados pelo crime, motivados pela suspeita que o garoto fosse gay.

O homem é acusado de torturar o jovem Gabriel Fernandez com spray de pimenta, obrigá-lo a comer as próprias fezes e depois vomitá-las. Além de queimar a criança com bitucas de cigarro, agredir a vítima com taco de beisebol e matá-lo com a “permissão” da mãe. Por causa do homicídio, o autor pode ser condenado a pena de morte.

Leia Mais:


Festa Deck em SP apresenta sua primeira edição noturna com batalha de voguing e Runaway

303 pessoas trans irão fazer a prova do Enem este ano

Após o crime, o casal ligou para polícia e alegou que Gabriel tinha cometido suicídio. No depoimento, eles afirmaram que a vítima “gostava de bater em si mesmo, era homossexual e queria acabar com a própria vida.” Porém, logo as autoridades descartaram essa  possibilidade e os dois foram presos.

A defesa de Isauro, representado pelo advogado John Allan, argumentou que o seu cliente “estava com problemas para lidar com uma situação muito estressante e caótica”. O réu admite o assassinato, mas nega qualquer episódio de tortura. Já a mãe de Gabriel, só será julgada em outra sessão. Além deles, outros quatro assistentes sociais estão sendo investigados pelo crime.


DEIXE UMA RESPOSTA