Capa da Veja sobre crianças trans gera revolta nas redes sociais. Confira comentários

Dezenas de internautas acusam os veículos de impôr e disseminar o que eles chamam “ideologia de gênero” (FOTO: Reprodução)
Dezenas de internautas acusam os veículos de impôr e disseminar o que eles chamam “ideologia de gênero” (FOTO: Reprodução)

Como a gente já havia comentado na edição desta semana, a Revista Veja trouxe uma reportagem de capa sobre a transexualidade. A matéria, da jornalista Giulia Vidale, acompanhou o dia-a-dia de crianças que não se identificam nem estão confortáveis com os corpos em que nasceram.

A reportagem gerou bastante polêmica nas redes sociais e muitos internautas fizeram postagens pedindo boicote à revista. O tópico #VejaLixo chegou a ficar por horas entre os assuntos mais comentados no Twitter e entre os comentários de revolta muitos deles eram de apoiadores de Bolsonaro. O deputado e pastor Marcos Feliciano (PSC) também se manifestou contra a revista.

Os ataques contra a revista do Grupo Abril vem no embalo de uma outra polêmica, esta envolvendo a Rede Globo. Quando o Fantástico exibiu uma matéria sobre transexualidade, a reação de parte da audiência foi bastante parecida conseguindo emplacar o tópico #GloboLixo entre os assuntos mais comentados do microblog.


Tanto o Grupo Abril quando as Organizações Globo vêm recebendo críticas por supostamente quererem “destruir a família” e “atentar contra os valores”.

A revista inclusive, tem sido chamada de “psolista”, “petista” e “esquerdista”, entre outros. Os adjetivos chegam ser incoerentes, visto que a publicação semanal sempre assumiu uma linha editorial e um posicionamento político declaradamente de direita chegando por vezes ser considerada bastante conservadora.

Confira alguns dos tuítes criticando os veículos:


DEIXE UMA RESPOSTA