Caetano Veloso
Caetano Veloso [Foto: Reprodução/Instagram]

O cantor Caetano Veloso se pronunciou sobre a onda de boicotes a arte que acontece no Brasil ultimamente, como o cancelamento da exposição Queermuseu em Porto Alegre, durante coletiva de imprensa concedida antes de um show em Belo Horizonte.

Em um trecho da entrevista, disponível no perfil oficial do artista no Instagram, ele defende a liberdade de expressão artística e afirma que as pessoas acreditam proteger a moral e os bons costumes, mas na verdade, estão apoiando a censura.

“Algumas pessoas podem estar enganadas, pensando que estão defendendo os bons costumes e a segurança da família, mas na verdade isso é um esboço de opressão. Se as pessoas aderirem a isso, então a gente uma ameaça de situação opressiva, e as pessoas vão ficar limitadas”, analisou Caetano.


Leia Mais:

Youtuber cai na brincadeira do viagra e exibe um volumão daqueles

Doação de sangue por gays será decidida neste mês

“Eu vivi o período da ditadura e não quero nada parecido com isso”, completou o músico que esteve na  exposição “Faça Você Mesmo a Sua Capela Sistina”, de Pedro Moraleida, criticada por relacionar símbolos religiosos com sexo.

De acordo com o G1, Caetano Veloso conferiu as obras da mostra, e disse não ter visto nada que diferencie a arte nos últimos anos. “Não há nada aqui que já não tenha sido feito na história da arte. Faz pensar em Basquiat, faz pensar em Hélio Oiticica na parte conteudística do trabalho dele, faz pensar no que vem acontecendo na arte desde o século 20“, analisou.