73% dos jovens LGBTs da América Latina sofrem bullying nas escolas, revela pesquisa

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Uma pesquisa realizada em sete países da América Latina, no período de dezembro de 2015 e março de 2016, concluiu que 73% dos estudantes do ensino básico sofrem algum tipo de bullying homofóbico nas escolas. O resultado foi apresentado nesta quarta-feira (18) em audiência pública conjunta das comissões de Relações Exteriores; e de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.

O estudo ouviu adolescentes acima dos 13 anos, que se identificavam como LGBT. Cerca de 60% dos jovens se sentem inseguros dentro do ambiente escolar e 37% já foram vítimas de violência física. No Brasil, 1.016 alunos responderam ao questionário disponível na internet e de forma anônima.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Sete países participaram da pesquisa: Brasil, Argentina, Chile, Uruguai, Peru, Colômbia e México. Em todos eles, com exceção do Uruguai, as taxas ultrapassam os 50%. Resultado das políticas públicas adotadas pelo país em respeito à diversidade.

Leia Mais:

Diretor afirma que Me Chame Pelo Seu Nome pode ganhar sequência

Polenguinho sofre ataques após público confundir homenagem ao Pink Floyd com apoio à causa LGBT

“Primeiro país onde tem educação sexual para o respeito, tem leis protetivas. É o Estado que aprovou casamento entre pessoas do mesmo sexo, aprovou a questão do aborto, inclusive a liberação da maconha, ou seja, é um país onde a cultura é muito mais aberta às pessoas diferentes, e o fundamentalismo religioso não é tão preponderante”, afirma Toni Reis, diretor executivo da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros.

Outro dado importante é o fato de professores e pais serem completamente omissos na proteção daqueles que sofrem bullying homofóbico. Na Colômbia, por exemplo, foi identificado que 60% dos docentes não fazem nada para impedir ou acabar com a discriminação. A violência muitas vezes expulsam esses jovens das escolas, além de empurrá-los para a depressão, automutilação e suicídio.

 

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio