Reflexivo, Sam Smith desabafa sobre homofobia: “me sinto tão culpado”

Sam Smith
Sam Smith (Foto: Reprodução/Instagram)

O cantor Sam Smith, que é assumidamente gay,  usou o seu perfil no Twitter para fazer um desabafo contra a homofobia. Em uma série de tweets emocionantes, ele pediu para os fãs ajudarem os membros da comunidade LGBT de todo o mundo, que não tem a mesma sorte que ele na Inglaterra, de poder viver a sua sexualidade com liberdade.

“É tão profundo. Mas às vezes eu sento e fico tão chateado quando penso em todos os 100s e milhares de homens e mulheres gays em todo o mundo…Que estão passando por tempos de mágoa e duros por apenas querer amar alguém… Faz-me tão triste e às vezes me sinto tão culpado que eu tenho que a liberdade mais simples, enquanto outros não.”, relatou.

O momento de reflexão de Smith aconteceu após o famoso ter assistido o filme “Segurar o homem”, drama estrelado por Guy Pierce, baseado no livro de memórias de mesmo nome do escritor e ativista australiano Tony Conigrave, que retrata a jornada de um homem, e do seu amante por 15 anos, John Caleow.


Leia Mais:

Internet transforma Pennywise, de It: A Coisa, e o Babadook em um casal gay

Carol Duarte conta que tem vontade de ser mãe

Em uma outra publicação, no seu perfil no Instagram, o cantor voltou a falar da produção. “Como um homem gay, é muito difícil às vezes para encontrar filmes que posso adequadamente e verdadeiramente se relacionar. Embora eu não possa relacionar com o terrivelmente triste fim para a história de Tim e John. A coisa mais poderosa para mim foi como este livro capturado como é crescer gay e todos aqueles confusos momentos assustadores e surpreendentes que eu tinha vindo para fora e perceber quem eu era. E este filme conquistou isso, e conquistou a história de Tim e John tão perfeitamente.”, escreveu.

“Por favor, assista esse filme quando puder. E por favor, espalhe a palavra. Anseio pelo dia em que há uma maneira mais filmes sobre relacionamentos homossexuais, relacionamentos heterossexuais, relações bissexuais e transexuais e histórias de vida. Mas, por agora apoiar este filme. Porque este livro e filme praticamente mudou a minha vida. Espero que eu mantive-lo para um parágrafo curto. (sic)”, completou.


DEIXE UMA RESPOSTA