Pesquisadores criam sistema de inteligência artificial que detecta orientação sexual das pessoas

Máquina responde se pessoa é gay através de análise de fotos
Máquina responde se pessoa é gay através de análise de fotos (Foto: Reprodução)

Você com certeza já ouviu algum amigo dizer que tem um Gaydar apurado, que não erra nunca e aponta a sexualidade de uma pessoas só em bater o olho né? Pois, pesquisadores da Universidade de Stanford nos Estados Unidos agora tentam reproduzir este olhar através de um sistema de inteligência artificial.

A ferramenta consegue afirmar com relativa precisão se a pessoa é homo ou heterossexual, a apartir de análises de fotos. O sistema garante acertar em 81% dos casos em homens e 74% entre as mulheres, mas a porcentagem aumenta consideravelmente para 91% e 83%, respectivamente, se cinco ou mais imagens forem disponibilizadas.

Cerca de 35.326 imagens faciais foram publicadas em uma rede neural profunda da máquina, que foi capaz de distinguir por traços físicos, como formato do nariz e gestuais, gays e heterossexuais. As fotos foram retiradas de um site de relacionamentos público. O estudo levanta questões sobre as origens biológicas da orientação sexual, a ética das tecnologias de reconhecimento facial e o potencial da inteligência artificial em violar a privacidade das pessoas.


Leia Mais:

Rapper Billy Saga canta para minorias em novo álbum

Chegada de Trump à presidência é tema de nova temporada de American Horror Story

A pesquisa indicou que alguns gestos e apresentações são mais passíveis para a homossexualidade. Entre os homens, os gays teriam mandíbulas mais estreitas que os héteros, narizes e frontes maiores em relação também. Já as mulheres, mandíbulas e frontes menores são sinais de homossexualidade.

“Os resultados avançar nosso entendimento sobre as origens da orientação sexual e os limites da percepção humana. Além disso, dado que companhias e governos estão cada vez mais usando algoritmos de visão computadorizada para detectar questões íntimas das pessoas, nosso estudo expõe uma ameaça à privacidade e segurança de homens e mulheres gays”, explicam os pesquisadores.


DEIXE UMA RESPOSTA