Pabllo Vittar
Pabllo Vittar (Foto: Reprodução/Instagram)

A decisão que reverteu parte da resolução do Conselho Federal de Psicologia (CFP), que proibia os profissionais da área, submeterem seus pacientes homossexuais a terapias de reversão sexual, repercutiu nesta segunda-feira (18) nas redes sociais. Famosos como Pabllo Vittar, Paulo Gustavo, Preta Gil, Ivete Sangalo e Anitta usaram seus perfis para protestar contra a liminar.

A drag queen Pabllo Vittar se pronunciou sobre a situação em seu Twitter, no qual escreveu as mensagens: “Não Somos doentes” e “O preconceito não vai vencer”.

 

Já o ator Paulo Gustavo decidiu fazer a sua crítica através do humor. “Estou catando tudo que é remédio para poder tentar melhorar da homossexualidade, mas não estou conseguindo. Estou viada há muito tempo, difícil sair da crise.”

Leia Mais:

Guilherme Weber fala sobre se montar de drag em novela: “experiência incrível”

Polícia prende 20 pessoas na Tanzânia por “crime homossexual”

A jornalista Fernanda Gentil, que namora com Priscila Montandon desde o ano passado, também entrou na onda e publicou uma foto em sua conta no Instagram com um termomêtro na boca e vários comprimidos.

Tentando me curar dessa doença, mas tá difícil….. Ô @paulogustavo31 , obteve sucesso aí??????? #algumadica?

Uma publicação compartilhada por Fernanda Gentil – Oficial (@gentilfernanda) em

A cantora Preta Gil que se identifica como bissexual, questionou: “Como é que cura um ser humano de amar o outro? E aí, tem esse remédio? […] Porque se tiver a cura deixa longe de mim, por favor porque eu prefiro ficar doente.”

Anitta disse estar “devastada” com o caso. “Não sei como a gente consegue ajudar, mas eu estou aqui rezando para o que nosso país dê atenção para o que realmente é importante, que é consertar a nossa miséria, a nossa corrupção, a nossa falta de educação, até mesmo para ninguém mais cometer uma burrice como essa.”

That’s what happens in my country. People dying, hungry, the government killing the country with corruption, no education, no hospitals, no opportunities… and the authorities are wasting that time to announce that homosexuality is a sickness. Homosexuals and bisexuals now have a treatment for this “sickness” here. So I ask… who is the real sick person here? I’m praying God that these real sick people find the cure of these crazy minds and start to look at the real important things here. / O Brasil se devastando e as autoridades preocupadas com quem queremos nos relacionar. Isso precisa acabar. Deus, cure a doença da cabeça do ser humano que não enxerga os verdadeiros problemas de uma nação. Pais, não obriguem seus filhos a procurarem cura pra uma doença que não existe, baseados neste fato político. Essa busca interminável sim pode deixa-los realmente doentes.

Uma publicação compartilhada por anitta ? (@anitta) em

Ivete Sangalo também cobrou do poder público o olhar para outras questões mais urgentes. “Doente são aqueles que acreditam nesse grande absurdo. Pessoas, pensem sobre o que esse grande equívoco, absorvam a coragem e a luta dos homossexuais e apliquem as suas mofadas e inertes vidas.”, escreveu ela.

A atriz Vera Holtz também se pronunciou sobre o caso. Em um vídeo publicado no Instagram, ela aparece engolindo, literalmente, as fitas nas cores da bandeira da diversidade. “Vão ter que engolir”.

O autor de novelas Aguinaldo Silva também usou do humor para protestar contra  decisão judicial. “Se ser gay é uma doença, então, senhores, podem sossegar vossas passarinhas e relaxar, porque eu garanto: essa doença não tem cura!”

 

A homossexualidade deixou de ser considerada como uma doença, pela Organização Mundial de Saúde (OMS) desde 1990. No Brasil, o CFP proibiu a realização de terapias para modificar a sexualidade, em uma resolução editada em 1999. A liminar assinada pelo juiz Waldemar Cláudio de Carvalho reverte esta determinação.