Mulher tem que comparecer à delegacia após fazer posts gays no Facebook

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Já é sabido que a Rússia proíbe qualquer manifestação pública que promova a homossexualidade. Desde 2013, a legislação do país proíbe qualquer “propaganda de relações sexuais não tradicionais a menores de idade”. E nesta semana uma ativista russa teve de se explicar à polícia após compartilhar links sobre homossexualidade em seu Facebook.

A ativista Evodkia Romanova teve que comparecer na delegacia de polícia após postar  conteúdo considerado proibido no Facebook e numa rede social russa chamada VKonkakte. A ativista trabalha como membra da organização de direitos LGBT Samara Regional Public LGBT Movement, também conhecida como AVERS.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Entre as postagens criminosas estariam um link para o site da Coalizão Juvenil para Direitos Reprodutivos Sexuais, dos quais a ativista é membra. Links dos sites The Guardian e Buzzfeed que foram compartilhados pela russa, também foram alvo da investigação das autoridades russas.

“Foi muito chocante”, disse Romanova ao BuzzFeed News por e-mail. “Eu não esperava que nada assim acontecesse comigo. Eu…rejeitei imediatamente qualquer testemunho e liguei para o meu advogado”.

Em depoimento à polícia, a ativista foi questionada sobre por qual razão ela acreditava estar passando pelo interrogatório. A russa respondeu o seguinte:

“O trabalho internacional de direitos humanos não é muito comum na cidade de onde eu venho devido a um alto nível de homofobia, tudo o que não está claro para eles parece incriminatório” explicou.

A ativista será julgada julgado em 18 de setembro e se condenada, terá que pagar uma multa de até 100 mil rublos (o equivalente a cerca de $1.750 dólares).

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio