Thomas Jenkins foi preso em flagrante acusado de pedofilia
Thomas Jenkins foi preso em flagrante acusado de pedofilia (Foto: Reprodução/Instagram)

O médico Thomas Jenkins, de 28 anos, foi preso em Wrexham, no País de Gales, acusado de pedofilia, após enviar fotos obscenas para um adolescente de 13 anos, através do aplicativo de encontros gays, Grindr.

O profissional de saúde foi descoberto após um agente secreto se passar por um menor, com quem ele iniciou uma conversa. O flagrante aconteceu durante uma festa regada a sexo e drogas, depois que Jenkins largou o turno da noite, no hospital no qual trabalhava.

Leia Mais:


ONU condena decisão judicial que autoriza “cura gay”: “decepcionante”

Protestos contra a “cura gay” marcam a 6ª Marcha LGBT de Maceió

De acordo com a polícia, Thomas enviou em torno de sete fotografias de cunho obsceno a Liam, nome do menino que o pedófilo seduziu. Segundo a vítima, o homem obrigou o jovem a manter relações sexuais sem o uso do preservativo, com a desculpa de ser melhor por ser natural.

Em abril, Jenkins já tinha sido identificado por incentivar relações sexuais. Ele agora aguarda julgamento. O Hospital para o qual trabalhava não quis se pronunciar sobre as acusações, apenas afirmou que o médico “estragou a sua vida”.