L’Oreal demite modelo transgênero após comentários racistas

A modelo trans, explicou que estava se referindo aos ataques neonazistas da supremacia branca que aconteceram recentemente (FOTO: Instagram)
A modelo trans, explicou que estava se referindo aos ataques neonazistas da supremacia branca que aconteceram recentemente (FOTO: Instagram)

Dias após se tornar a primeira modelo transgênero a estrelar peças publicitárias da Loreal no Reino Unido, a modelo Munroe Bergdorf teve sua imagem retirada da campanha.

O motivo? A modelo teria cometido um “racismo do avesso” ao tecer comentários considerados preconceituosos generalizando pessoas brancas através das suas redes sociais. Ao lado da cantora Cheryl Cole, a modelo transgênero era uma das cinco embaixadoras da campanha Yours Truly True Match, que tem como objetivo celebrar a diversidade.

“Honestamente, eu não tenho mais energia para falar sobre a violência racial dos brancos. Sim, de TODAS as pessoas brancas” teria escrito a modelo. Posteriormente, a publicação foi deletada.


Poucos dias após a publicação nas redes sociais, a modelo teve o seu contrato rescindido com a marca de cosmética francesa que anunciou o fim da parceria.

“A L’Oréal apoia a diversidade de todos os indivíduos independentemente do seu passado, raça, gênero ou religião”, a nota da empresa também afirmou que “os recentes comentários” da modelo estão em “desacordo com esses valores” e por isso a marca de encerrou a parceria.

A modelo, por sua vez, explicou que suas frases foram mal-interpretadas, e que ela estava se referindo aos ataques neonazistas da supremacia branca que aconteceram na cidade norte-americana de Charlottesville há algumas semanas.

Quando constatei que ‘Todas as pessoas brancas são racistas”, eu estava me referindo ao fato de que a sociedade ocidental, como um todo, é um sistema baseado em supremacia branca – feito para beneficiar, priorizar e proteger pessoas brancas antes de qualquer um de qualquer outra raça. Sem saber, pessoas brancas são socializadas para serem racistas a partir de seus nascimentos. Não é algo genético. Ninguém nasce racista”, escreveu.

Em resposta a sua demissão, a modelo também propôs um boicote à L’Oréal: “Esta marca de maquiagem não se preocupa com nada além de dinheiro. Eu convoco vocês a boicotar a L’Oréal Paris. Não consigo expressar como estou desapontada com todo o time em lidar com frases que foram completamente tiradas de contexto”, afirmou.


DEIXE UMA RESPOSTA