Jair Bolsonaro afirma aceitar voto gay e dispara contra autores de mostra LGBT: “tem que fuzilar”

Deputado Federal Jair Bolsonaro
Deputado Federal Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)

Em entrevista ao programa TV Verdade, da TV Alterosa, afiliada do SBT em Belo Horizonte, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) afirmou que não teria problemas em aceitar o voto de homossexuais, caso seja candidato a presidência da república nas eleições que acontecerão no ano que vem.

“Você não tá escolhendo namorado, tá escolhendo alguém pra governar o país”, declarou o parlamentar, após ser questionado se aceitaria o voto de um casal gay nas urnas. “Não interessa a sua opção, time de futebol, tuas vontades, teus prazeres, não interessa”, completou ele que tem histórico de problemas com a comunidade LGBT.

Apesar de tentar implantar um discurso no qual não mistura os temas, Bolsonaro citou suas convicções religiosas. “Agora, quando se fala em religião, tem de respeitar a bíblia sagrada”, conclui o político. A entrevista foi gravada na última sexta-feira (15), mas foi levada ao ar nesta segunda (18).


Leia Mais:

Após decisão judicial, ativista LGBT formaliza pedido de aposentadoria por ser gay

Filho de Marília Gabriela é visto em clima de romance com outro rapaz no Rock in Rio

Ainda no programa, Bolsonaro citou a polêmica exposição Queermuseu, que esteve em cartaz no espaço Santander Cultural, em Porto Alegre, e foi fechada após acusações de blasfêmia e pedofilia. Para ele os organizadores da mostra deviam ser fuzilados.

“É uma força de expressão, mas tem que fuzilar os autores desta exposição. Porque inclusive, na exposição em si, teve o apelo deles, junto a secretaria municipal e estadual de educação, para que levassem as crianças para ver esta indecência. Qual pai quer que o filho vá ver uma porcaria dessas?”, disparou.


DEIXE UMA RESPOSTA