Pastores de igreja inclusiva processam religioso que criticou versão da bíblia comentada

Pastor Abílio Santana
Pastor Abílio Santana (Foto: Reprodução/Facebook)

Os pastores Jefferson Raphael Caetano Lira e José Marvel Queiroz de Sousa, que atuam na Igreja Comunidade Cristã IPEG – instituição Reconciliadora em Brasília, entraram com um processo contra o também pastor Abílio Santana por injúria e difamação.

A ação foi registrada na 5ª Vara Criminal do Estado da Bahia, e pede retratação de Abílio por ele ter feito uma crítica em um vídeo ao livro Graça sobre Graça, versão da Bíblia com comentários de Marvel, que se apresenta como pastor e teólogo.

Nas imagens publicadas em suas redes sociais em março, Abílio diz fazer um alerta aos cristãos, ao comprarem a publicação na qual chamou de “Bíblia gay”, mostrando fotos do autor e também o citando nominalmente.


Leia Mais:

Gay revela que foi abusado por padre e pede justiça ao Papa Francisco

Notícia que Fátima Bernardes anuncia beijo gay infantil em novela é falsa

Abílio ainda afirmou que a versão da obra sagrada tiraria versículos para justificar o comportamento homoafetivo. “Nessa Bíblia não consta Levítico 18:22, onde está escrito:  Não te deitarás com homem como se fosse mulher”, assim como outros trechos que são condenadas a homossexualidade tanto do antigo quanto do novo testamento.

As declarações, segundo Marvel, são sem fundamento, já que a Graça sobre Graça, não retira versículos da versão original da Bíblia, apenas apresenta comentários no rodapé das páginas sobre a interpretação das passagens.

Jefferson Raphael Caetano Lira e José Marvel Queiroz de Sousa são casados e trabalham juntos na congregação. Jefferson inclusive é evangelista. A primeira audiência da ação acontecerá no próximo dia 12.


1 COMENTÁRIO

  1. Total apoio, binguem é obrigado a crer na Bíblia, mas se crê, não venham mudar nada do que esta la, principalmente colocar comentários em desacordo com as escrituras sagradas. ate a Bíblia não podemos comprar mais em segurança. Não podemos criar NOSSOS filhos mais de acordo com o que cremos que já nos chamam de homofóbico e querem processar. O furacão que atingiu os EUA tinha que ter vindo pra cá e acabar com tudo. esse mundo e principalmente o Brasil estão um lixo.

DEIXE UMA RESPOSTA