Famosos lamentam a morte da ativista LGBT Edith Windsor

Edith Windsor
Edith Windsor (Foto: Divulgação)

A ativista LGBT Edith Windsor morreu nesta terça-feira (12), aos 88 anos. Ela ficou conhecida pelo caso Estados Unidos vs. Windsor, quando em 2011, entrou na justiça para ter acesso a herança deixada pela sua falecida esposa, Thea Spyer, com quem tinha se casado dois anos antes no Canadá.

O episódio, considerado histórico, serviu de instrumento para que o casamento igualitário fosse legalizado no país, quatro anos depois de dada a sentença favorável a Windsor.

Com a notícia da morte de Edith, diversas celebridades se manifestaram a respeito para darem o último adeus a militante, como a atriz Rosie O’Donnell .“Ano passado, Rhea [Butler] e eu tivemos a chance de conhecer Edith em um evento. Eu fiquei em casa para que minha esposa pudesse ir. É isso que esposas fazem. Nós não poderíamos ser esposas se não fosse por Edith”, contou.


Leia Mais:

Peça infantil com romance lésbico causa polêmica em Jundiaí

Sem patrocínio, Parada LGBT de Copacabana é adiada para novembro

Chelsea Clinton, filha do ex-presidente Bill Clinton, lamentou a morte de Windsor. “Muito triste por ouvir sobre a morte de Edith Windsor. O nosso mundo está melhor por que ela viveu. Mantendo sua esposa Judith, sua família e amigos nos meus pensamentos”, escreveu.

O apresentador Andy Cohen também prestou a sua homenagem. “Descanse em paz, Edith Windsor. Seremos gratos a você pelo resto de nossas vidas”, disse ele em sua conta no Twitter.


DEIXE UMA RESPOSTA