Assassino de drag Lady Butterfly é condenado a 14 anos de prisão

Lady Butterfly
Lady Butterfly (Foto: Reprodução/TV Bahia)

O mecânico Luan Santos Gonçalves, foi condenado a 14 anos de prisão em regime fechado, na última quarta-feira (30), pela morte da transformista Lady Butterfly, na cidade de Porto Seguro, no Sul da Bahia, em 2013. O assassino teria atingido a vítima a facadas, que estava em sua casa no momento do ataque. Mesmo ferida, ela conseguiu caminhar até a rua para pedir ajuda.

O juri popular, realizado no Fórum Osório Borges de Menezes, em Porto Seguro, aconteceu por mais de dez horas (entre 11h e 21h). Após a decisão, Luan foi encaminhado novamente para o presídio de Eunápolis, onde se encontrava detido há três anos e nove meses, sob custódia.

Na época do crime, a polícia havia descoberto Luan na cidade de Vitória da Conquista, no Sudoeste Baiano, no momento em que tentava fugir para Três Lagos, no Mato Grosso do Sul. Em sua defesa, o autor do crime teria dito que matou Butterfly por legítima defesa. Porém, laudos periciais e o exame de corpo delito não acusaram nenhuma marca de luta corporal no corpo do acusado.


Leia Mais:

Suprema Corte de Israel nega pedido de reconhecimento ao casamento gay

Empresário do boxe inicia transição para se tornar mulher

A investigação sob responsabilidade do delegado Élvio Brandão ainda revelou que o homem não prestou socorro a vítima, em um crime que teria sido por motivação passional. A transformista chegou a ser levada para o Hospital Luís Eduardo Magalhães, mas não resistiu aos ferimentos e morreu horas depois.

No início das investigações havia a suspeita de latrocínio ( roubo seguido por morte), mas logo a teoria foi descartada, Luan chegou a afirmar que roubou objetos na casa da vítima para arrecadar dinheiro para a fuga.

 

 


DEIXE UMA RESPOSTA