Patrick Mitchell foi diagnosticado com disforia de gênero aos 12 anos
Patrick Mitchell foi diagnosticado com disforia de gênero aos 12 anos (Foto: Reprodução)

Dois anos após ser diagnosticado com disforia de gênero aos 12 anos, com direito ao processo de redesignação de gênero, o jovem australiano Patrick Mitchel decidiu que não quer mais ser uma menina. Ele diz ainda se sentir membro do sexo masculino, e passou a percorrer o doloroso caminho de volta, após inclusive ser submetido a cirurgia.

O caso foi retratado no programa 60 minutes, da TV norte-americana. A mãe de Patrick lembra que o filho desde muito novo tinha preferência por usar roupas femininas. “Desde quando ele era mais jovem, vestia roupa feminina”, lembra. As informações são do Daily Mail.

O adolescente logo começou a hormonoterapia a base de estrogênio. Para que fosse desenvolvido os seios e ajudasse no crescimento do seu cabelo. Na entrevista ao jornalístico, Mitchel afirma que o universo feminino não era como pensava e por isso optou por retomar a forma original.


Leia Mais:

Destransicionar: Conheça histórias de pessoas que passaram pela transição de gênero e se arrependeram

Reflexivo, Sam Smith desabafa sobre homofobia: “me sinto tão culpado”

Alison também informou que o filho já não demonstra a confusão em relação ao gênero como antigamente, e critica a postura dos médicos que foram precipitados ao darem o diagnóstico de disforia de gênero. “Fico triste que ele estivesse confuso e pelos tempos difíceis que passou, mas estou muito feliz com quem ele é hoje”, concluiu.

Agora a família espera fazer uma viagem à Coreia do Sul para que ele possa fazer uma cirurgia para a retirada das mamas, já que o país oriental é um dos poucos que permitem menores de idade a serem submetidos a intervenções como essa.

DEIXE UMA RESPOSTA