“Você salvou uma mulher hoje”, escuta jovem após ser estuprado em MG

Violência
Violência (Foto: Reprodução/Pixabay)

Um jovem, de 23 anos, morador de Uberaba, em Minas Gerais, identificado apenas como Mateus relatou ter sofrido estupro e tortura durante uma caminhada em seu perfil no Facebook. Ao ser liberado, após sofrer o abuso ele ouviu do criminoso: “Parabéns, você salvou uma mulher hoje”

O crime aconteceu na manhã do último domingo (20), Mateus fazia a sua caminhada matinal como de costume, até que foi abordado por um homem em uma caminhonete preta. um sujeito para de carro do meu lado, aponta uma arma na minha cara e me faz escolher entre entrar no veículo ou levar um tiro ali mesmo. E não, não tinha ninguém na rua, e também não, não tinha como correr. Ele roda um tempo, entra na mata, e o ato com paus, pedras e arame farpado começa. Caso eu quisesse gritar, a arma na minha boca não deixaria. Até o fim vocês conseguem imaginar o que ele fez com esse material em mim. Não foi sexo, foi tortura.”, disse no texto.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, a PM recebeu uma denúncia anônima sobre um rapaz que tinha os pés e mãos amarrados. “No local, nos deparamos com o senhor sentado na beira da estrada bastante abalado psicologicamente. Estava de calça jeans e sem camisa.”, afirma a polícia.


Ainda segundo o B.O., a vítima apresentava vários riscos pelo corpo, além de sinais que o levavam sofrer uma violência sexual, também havia um galho seco introduzido no lóbulo da orelha esquerda. Diante dos fatos, Mateus foi levado para o Hospital São José na região, onde pôde ser constatado o estupro. As informações são do UOL.

“Mas como eu saí vivo?”, questiona o rapaz na rede social. “Segundo o cidadão, ele queria uma menina que provavelmente ia matar depois, já que encontrou só um garoto, esse ia salvar a vida dela. ‘Parabéns, você salvou uma mulher hoje”, lembrou ele no post, que ainda descreveu que andou descalço sobre o asfalto quente, a pedido de ajuda.

Leia Mais:

Ricky Martin revela dificuldades para viver gay em American Crime Story

ABGLT inclui pessoas intersexo e convida para fazer parte do coletivo

Deixado em uma estrada vicinal, o rapaz disse que penou para conseguir ajuda. “Encontrei mais de 20 pessoas, e todas me negaram ajuda. Acharam que eu era drogado, assaltante… Tudo bem, eu entendo, mas não custava chamar a Polícia que era a única coisa que eu conseguia gritar? Eu estava sozinho. Com medo.”, escreveu. Até que conseguiu que um motoqueiro ligasse para a polícia.

Porém, após a chegada da polícia, Mateus percebeu o despreparo tanto das autoridades, quanto dos profissionais de saúde para lidar com um caso como esse. “Mas não se enganem, nem os policiais e nem a equipe médica tava preparada para um caso desses. ”Mas você conhecia o agressor?’, ‘Por que você não correu?’, ‘Ele não titubeou nenhum momento para você se aproveitar?’ e ‘O indivíduo alega’ foram as melhores pérolas que ouvi. Como sempre a culpa é da vítima.”

Ao fim do relato na rede social, a vítima, que se diz não estar bem, diz que a sua vontade era apenas de passear com o seu cachorro. “Só queria paz de espírito e estabilidade emocional. Mas eu juro para vocês que um evento desse porte faz a vida de qualquer um perder o sentido. Faz a gente se perguntar o porquê disso tudo. Quem sou eu agora?”, questionou.

Não, eu não to bem. Me sinto humilhado, envergonhado, assustado. Cada lembrança é um pesadelo. Eu olho pro meu corpo agora e só penso que cada corte, cada ferimento e cada dor vão se transformar em força, em esperança, em renascimento. E isso graças a minha família que tem sido incrível – todos eles – e aos amigos.”, finalizou.


DEIXE UMA RESPOSTA