Morre Paulo Silvino, dono do bordão “Isso é uma bichona”

Aos 78 anos, Paulo Silvino lutava contra um câncer de estômago
Aos 78 anos, Paulo Silvino lutava contra um câncer de estômago (Foto: Divulgação/TV Globo)

O ator Paulo Silvino morreu na manhã desta quinta-feira (17). Aos 78 anos, o artista lutava contra um câncer no estômago. Um dos seus personagens mais marcantes, o porteiro Severino, dono do bordão “Isso é uma bichona!”, exibido por anos dentro do programa Zorra Total, da TV Globo.

De acordo com a central de comunicação da Globo, o humorista morreu em sua casa, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. Segundo a família, ele chegou a ser submetido a um cirurgia no ano passado, mas o câncer se espalhou rapidamente pelo corpo. Mesmo com o estágio avançado da doença, os parentes optaram por um tratamento domiciliar.

Artistas, amigos e familiares lamentaram a morte de Silvino nas redes sociais. Lúcio Mauro Filho, lembrou da trajetória de sucesso do colega. “Um dia triste. O Paulo Silvino é um super artista. É bom lembrar que o Paulo Silvino foi um dos primeiros pop star do Brasil, um dos primeiros atores que cantava, quer dizer, foi um homem de mil facetas. E pra mim, em especial, ele foi uma espécie de padrinho porque minha primeira aparição na TV foi junto dele no Balança Mais Não Cai e eu tinha só oito anos de idade. Quero mandar meus sentimentos para a família”, escreveu.


Leia Mais:

Sensação no Youtube, Nininha Problemática fala sobre assuntos espinhosos com bom humor

Justiça nega pedido de liberdade de secretário acusado de mandar matar ex-amante

Leandro Hassum também mostrou condolências sobre a morte. “Nossa acabei de ver que hj perdi um amigo,conselheiro,parceiro de camarim e um ícone do nosso humor. Paulo Silvino. Merece todos os aplausos deste mundo. E sei que chegará no céu desse jeito que viveu sendo aplaudido de pé”, disse em um post no Instagram. “Tristeza na terra, alegria no céu!”, declarou Bruno Gagliasso.

Filho do comediante, Silvério Silvino, Paulo Silvino cresceu dentre as coxias do teatro, passou pela rádio em 1960, e estreou na TV em 1966, a frente do programa Canal 0, da Globo, entre indas e vindas, estrelou humorísticos de sucesso como Balança Mas Não Cai, Planeta dos Homens e Viva o Gordo. Seu último papel de destaque foi do porteiro Severino, que dentre os seus bordões mais famosos estão o “cara, crachá” e o “Isso é uma bichona!”.


DEIXE UMA RESPOSTA