Fundo Brasil lançou mais uma fase da campanha #NãoTáTranquiloNãoTáFavorável
Fundo Brasil lançou mais uma fase da campanha #NãoTáTranquiloNãoTáFavorável (Foto: Reprodução/Internet)

As estatísticas de morte de pessoas pertencentes ao grupo LGBT são alarmantes. Segundo o Grupo Gay da Bahia (GGB), a cada 25 horas uma vida é perdida, vítima da violência. Esse mesmo ódio, causou somente no ano de 2016 a morte de 343 pessoas. Dado mais alarmante, de que essas estatísticas são maiores do que em países onde o relacionamento homoafetivo é proibido.

E por conta de tantos dados contra o público LGBT o Fundo Brasil lançou mais uma fase da sua campanha #NãoTáTranquiloNãoTáFavorável. Ela serve, basicamente, como forma de defesa ao direito de escolha à sua identidade de gênero e orientação sexual.

O movimento tem o principal objetivo de chamar a atenção para as diversas formas de violências sofridas por LGBT’s que são frequentemente vítimas de agressões físicas e morais dentro de escolas e instituições privadas. Ainda segundo a Pesquisa Nacional sobre o Ambiente Educacional no Brasil, somente em 2016 foi constatado que 73% de alunos – homens e mulheres – já sofreram algum tipo de agressão verbal e 35% fisicamente.


Leia Mais:

Professora trans traz debate de identidade de gênero para escola em São Paulo

Hino LGBT, True Colors é a trilha para transição de Ivana em A Força do Querer

Além da Hashtag, a campanha também conta com a mobilização através de adesivos do estilo lambe-lambe, artes especiais e frases de apoio espalhadas pela cidade. As mesmas também se encontram disponíveis na internet para serem utilizadas e baixadas, como por exemplo a foto de capa do Facebook.

O que é o fundo Brasil?

O Fundo Brasil é um intermediador entre organizações locais e doadores. O projeto existe com o objetivo de destinar recursos e ajudar na viabilização de projetos voltados à causa LGBT.

Cecar de 21 projetos já contaram com o apoio do grupo em todas as regiões do País. Uma das principais lutadas do Fundo Brasil é a incidência em cima de órgãos públicos para que leis sejam estabelecidas e que o público LGBT continue ganhando cada vez mais condições dignas na defesa de seus direitos.