Parada LGBT de Campo Grande
Parada LGBT de Campo Grande (Foto: Reprodução)

Os vereadores da Câmara Municipal de Campo Grande aprovaram, depois de empate, o projeto de lei que institui no calendário oficial da capital a Parada da Cidadania LGBT e Show da Diversidade. Foi necessário o voto de minerva do presidente da sessão.

A eleição ficou no placar de 13 votos favoráveis e 12 contrários à medida. O projeto trouxe muito debate entre os membros do Legislativo: os parlamentares que se mostraram contra afirmavam que a aprovação significaria gastos públicos desnecessários, enquanto outros consideraram que a comemoração já acontece, não oficialmente, há anos na cidade.

Leia Mais:


Teste rápido de HIV começa a ser vendido no Rio de Janeiro

Pessoas contaminadas com HIV tem expectativa de vida de 78 anos, diz pesquisa

O debate também se acendeu sobre a possível LGBTfobia dos políticos que votavam contra. “O projeto era para ser votado em conjunto, mas como esse projeto é LGBT mandaram tirar de lado”, discursou o vereador Valdir Gomes (PP). “O preconceito está dentro dessa Casa também. Quero saber se, próxima eleição, vão separar os votos de gays e lésbicas. Acho que foi uma discriminação”, completou.

O presidente que definiu a aprovação do projeto foi Derly de Oliveira, o Cazuza (PP). “Não estamos discutindo sobre preconceito, nós estamos discutindo sobre colocar no calendário do município uma comemoração que acontece há mais de 17 anos. Sempre a Prefeitura estendeu as mãos para as marchas não só como LGBT, como também para Jesus e outras entidades. Sendo assim, meu voto é sim”, disse como justificativa para o seu voto.