Em decisão inédita, Suprema corte do Chile outorga guarda de filhos para pai gay

Suprema corte do Chile decidiu passar guarda para pai após mãe sequestrar os filhos
Suprema corte do Chile decidiu passar guarda para pai após mãe sequestrar os filhos (Foto: George Frey/Getty Images)

A Suprema Corte do Chile outorgou, nesta segunda-feira (07), o pedido de guarda de duas crianças gêmeas de três anos, a um pai homossexual. A decisão inédita, aconteceu após a categórica rejeição da mãe pela orientação sexual do progenitor.

De acordo com o veredicto, a mãe passou a colocar impedimentos para a aproximação do pai com os filhos, após ser informada que ele começou um relacionamento amoroso com uma outra pessoa do mesmo sexo, fato com que fez a mulher “sequestrar” as crianças e permaneceu no Uruguai.

Em junho do ano pasado, o Tribunal da Família já havia outorgado a guarda para o homem por ele contar com melhores habilidades parentais, características psicológicas, econômicas e sociais”, mas esta decisão foi revogada pela Corte de Apelações de Santiago,sob o argumento que a mãe sofria “confusão e ansiedade que lhe dificultam ter respostas acertadas e empáticas em algumas ocasiões”, mas que tal condição não lhe impedia de criar os filhos.


Leia Mais:

Fifith Harmony pode fazer show no Festival Vila Mix em São Paulo

SWISH SWISH BISH! Assista a um trechinho e saiba tudo sobre o novo clipe de Katy Perry

Diante desta decisão, o pai entrou com um recurso aceito pelos magistrados que entenderam ser o rapaz a melhor opção para o bem estar das crianças.

O Movimento de Integração e Liberdade Homossexual (Movilh) considerou a setença histórica e de grande avanço para os direitos LGBT do país.“Estamos presenciando um marco, pois apesar de decisões similares terem sido dadas para mães lésbicas, este é a primeira de um pai gay. A mesma sentença faz clara referência a seu companheiro do mesmo sexo e ao fato de que convive com ele”,

O Movilh, entretanto, condenou o fato de alguns representantes do júri ter classificado como irrelevante a mãe ter sequestrado os próprios filhos, mesmo tendo que ser notificada pelos tribunais uruguaios para que retornasse ao Chile.


DEIXE UMA RESPOSTA