ABGLT inclui pessoas intersexo e convida para fazer parte do coletivo

Bandeira LGBT
Bandeira LGBT (Foto: Reprodução/Internet)

A Associação de Gays, Lésbicas e Transgêneros (ABGLT) agora passou a contemplar um novo grupo, os de pessoas Intersexo. A decisão visa dialogar e fazer parte deste grupo tão excluído da sociedade, e marca uma das primeiras ações da nova presidenta do órgão, a travesti Sammy Larrat, que assumiu o cargo na semana passada.

Intersexo é um termo que define as pessoas que apresentam variações corporais, cromossômicas, hormonais e anatômicas que não se encaixam nas definições médicas como sendo estritamente de homem ou de mulher.

Leia Mais:


Ivete Sangalo dispara contra transfobia no Altas Horas: “Apagar arquivo que fala de si mesmo”

Paquistanesa quebra barreiras ao ser a primeira modelo trans do país

Em comunicado, a ABGLT destacou a importância de incluir pessoas intersexo dentro da discussão de gênero e sexualidade. “A OMS (Organização Mundial de Saúde) estima em 1% a porcentagem de pessoas Intersexuais no mundo todo. O Brasil precisa entrar nessa luta e avaliamos que a ABGLT têm que se comprometer com as pessoas Intersexo na sua jornada. Nossa entidade precisa refletir a pluralidade de nossa população, dando voz a essa população ainda tão invisibilizada”

Apesar do novo grupo ser integrado, inclusive com alterações nos documentos da entidade, a ABGLT não irá incluir a inicial na sigla. “Somos conhecidos nacionalmente e internacionalmente como ABGLT. Observem que quando escrevemos por extenso, as Lésbicas vêm na frente e uma letra T é desdobrada para Travestis e Transexuais. Assinaremos ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos”, explicou.

 


DEIXE UMA RESPOSTA