Travesti desaparecida é encontrada morta em Alagoas

Corpo de travesti assassinada foi identificado em Maceió
Corpo de travesti assassinada foi identificado em Maceió (Foto: Cortesia)

Uma travesti (cujo nome social não foi divulgado pelas autoridades) foi identificada oficialmente, nesta sexta-feira (21), após ser assassinada a tiros. Seu nome de registro era Edinaldo Araújo da Silva, de 40 anos. De acordo com a família, ela estava desaparecida desde domingo (16).

Durante toda a semana, o paradeiro da vítima era desconhecido por familiares e amigos. O corpo dela foi encontrado na Praça Raul Lemos, no bairro do Poço, em Maceió, alvejado quatro vezes, com tiros na cabeça, no tórax e braço. A polícia afirma que ainda são desconhecidas as motivações do crime.

Leia Mais:


Gabinete de Jair Bolsonaro tem mural para criticar LGBTs e defender ditadura

Policial confessa ter matado travesti por “não gostar de homossexual”

De acordo com as autoridades, a vítima seria dependente química e a morte parece ter ocorrido por volta das 4h, segundo a perícia. Os policiais esperam que as câmeras instaladas na região do assassinato possam ajudar na investigação dos criminosos.

A família contou, também, que o pai da vítima, Cícero Araújo da Silva, estava falecido há apenas 10 dias, de causas clínicas. O presidente do Grupo Gay de Alagoas, Nildo Correia, divulgou que esta é a 11ª pessoa LGBT assassinada no estado de Alagoas apenas este ano.


DEIXE UMA RESPOSTA