Revista Vogue pede desculpas após repercussão negativa envolvendo capa de
Revista Vogue pede desculpas após repercussão negativa envolvendo capa de "gênero fluído" com Zayn Malik e a namorada (FOTO: Twitter Vogue)

Nesta semana, o cantor Zayn Malik e sua namorada Gigi Hadid foram os modelos de capa da revista Vogue. A edição de agosto da publicação colocou o casal vestindo peças de roupas que poderiam ser usadas tanto por homens quanto por mulheres em uma suposta referência a uma nova geração aberta ao “gênero fluído” (termo guarda chuva que abraça diferentes identidades e não divide as pessoas pelos gêneros feminino e masculino).

Com Zayn vestindo roupas que pertenciam a namorada e com Gigi usando peças que pertenciam ao namorado, a intenção da matéria foi ilustrar como para a geração dos millenials “definições como garoto ou garota estão lá embaixo na lista de prioridades – e o jeito como eles se vestem reflete isso”.

Só que muita gente torceu o nariz para a matéria da revista feminina chegando a sugerir que a publicação estava se aproveitando de uma questão delicada como o conceito de “gênero fluído” apenas para se promover. Um post com mais de um milhão de visualizações no Buzzfeed reunindo as críticas dos internautas foi o chamariz para que a própria revista viesse a público pedir desculpas. Confira algumas das mensagens dos internautas abaixo:

“Alô, polícia, Gigi Hadid usou calças na semana passada e agora a Vogue está a chamando de ícone do gênero fluído”

“Será que a Vogue sabe que realmente existem pessoas com gênero fluído por aí?”

Escrita por Maya Singer, uma jornalista da revista que já escreveu também para o The Wall Street Journal e pro jornal The Telegraph, a matéria teve como referência um romance escrito por Virgínia Woolf chamado Orlando: Uma Biografia e que conta a história de um homem que repentinamente acorda como mulher em um dia. A obra, aliás, é considerada um marco para a discussão de gêneros sociais.

Em nota publicada por uma porta voz da revista, a Vogue se desculpou afirmando que “A intenção da matéria foi destacar o impacto que o gênero fluído e não binário tem na moda e na cultura” afirmou a porta-voz. “Nos desculpamos pela matéria não ter conseguido refletir o espírito do assunto. A partir de agora nós procuraremos tratá-lo com grande sensibilidade”.

FONTE: Gay Star News

DEIXE UMA RESPOSTA