Projeto oferece aulas de corte e costura para transgêneros em São Paulo

Curso dedicado ao público trans envolve produção, desenho e costura
Curso dedicado ao público trans envolve produção, desenho e costura (Foto: Reprodução / Facebook)

O Coletivo Trans Sol, em São Paulo, é um projeto encabeçado pelas amigas Priscila Nunes e Mavica Morales e tem como objetivo ajudar pessoas trans – mulheres, homens e não-binários – e travestis a gerarem renda através da costura. Para isso, são oferecidas aulas semanais desde outubro do ano passado.

A iniciativa enfrenta diretamente as estatísticas da população trans, na qual aponta que 90% das mulheres e travestis estão na prostituição, enquanto milhares de homens trans estão em sub-empregos. O coletivo funciona com a ajuda do projeto Transcidadania e da Incubadora Economia Solidária, ambos da Prefeitura de São Paulo. Atualmente, eles contam com 16 alunas, com aulas no bairro do Glicério, às quartas-feiras, das 13h às 17h.

Leia Mais:


Modelo alcança o sucesso após realizar transição de gênero

MPF considera curso para pessoas trans legal, após denúncia de preconceito por hétero cis

Os alunos passam por aulas de processo criativo, desenho e costura, lecionados pelo professor Renato Raga. Em entrevista para o jornal O Estado de São Paulo, ele contou que “tem meninas aqui que são uma verdadeira biblioteca de moda, são superinformadas. O que mais me cativa é que são interessadas, querem saber”, disse ele. As alunas deram a ideia, por exemplo, de confeccionar calcinhas especialmente para a população trans, que precisam de um design diferente e mais reforçado do que as do mercado.

O Trans Sol quase fechou no início do ano, com o corte de verbas após a mudança para a gestão Dória. Entretanto, elas conseguiram fechar um contrato com a artista Cristina Bottalo, para fabricarem roupas para bonecas. Com isso, as alunas conseguem ser pagas pela produção.

“Hoje conseguimos pagar as alunas para fazer o trabalho. E elas chegaram sem saber pregar um botão”, comemorou Priscila. Para apoiar o projeto, inclusive com doações, é só acessar a página oficial.


DEIXE UMA RESPOSTA