Prefeitura de SP exige curso de diversidade sexual para motoristas do Uber

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O prefeito da cidade de São Paulo, João Dória, divulgou nesta quarta-feira (12), as novas regras para empresas de compartilhamento de automóveis e viagens. Motoristas do Uber, Easy, 99, Cabify e similares agora precisarão passar por um curso que ensina, entre outras coisas, sobre diversidade sexual.

O curso específico para esses motoristas pretende orientá-los sobre gentileza, diversidade, primeiros socorros e mecânica. A duração é de 16 horas, mas essa não é a única mudança exigida pelas novas regras. Os condutores também deverão seguir um novo código de vestuário, que não permite itens como camiseta de times e clubes, esportiva ou regata, e calça esportiva ou de moletom, além de chinelos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia Mais:

Um a cada cinco gays já rejeitaram parceiros devido ao tamanho do pênis, diz pesquisa

Charlize Theron comenta cena de sexo com mulher em Atômica: “amei”

Já os carros cadastrados devem ter placa da capital paulistana, ter até 5 anos de fabricação, possuir o certificado de licenciamento no município de São Paulo, certidão de inspeção anual e devem manter o filtro do ar condicionado, tapetes, piso e porta-malas sempre higienizados. Só poderá atuar quem se enquadrar em todas as novas regras.

As normas formam um cadastro municipal de condutores na OTTC: Operadoras de Tecnologia de Transporte Credenciadas. Para se cadastrar, é preciso levar comprovante do curso, de contratação de seguro que cubra acidentes de passageiros e alguns outros documentos. As empresas de transporte de passageiros tem 180 dias para se adaptarem, e quem descumprir estará sujeito à multas e sanções administrativas.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio