Pepê e Neném recebem críticas ao postarem vídeo em apoio a Bolsonaro

A dupla Pepê e Neném postaram um vídeo em apoio a Jair Bolsonaro
A dupla Pepê e Neném postaram um vídeo em apoio a Jair Bolsonaro (Foto: Ego)

A dupla Pepê e Neném, duas mulheres negras e assumidamente lésbicas, causaram alvoroço nas redes sociais, neste domingo (30), ao postar um vídeo em apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro e ainda criticando a demonstração pública de afeto de casais homossexuais.

No vídeo, as duas afirmam que “não é porque somos lésbicas, gays, que vamos aceitar tudo que a gente vê. O certo é o certo, e o errado é o errado”. Elas então seguem para um discurso que aponta que casais homossexuais devem compreender “limites” e não trocar beijos ou carícias em público, por respeito às famílias e crianças – mas isso não se aplica a casais heterossexuais.

Leia Mais:


Sobrinho-neto de Rainha Elizabeth II mostra que cresceu e causa ao postar foto sensual na internet; veja

Detran acerta nome social na CNH de motoristas Trans e Travestis

“Amor não tem sexo. Amor é amor! Mas pra que passar pra rua coisas que você pode fazer dentro do quarto? Tenha limites!”, dizem. O discurso considerado homofóbico foi ao mesmo tempo aclamado pelos fãs de Bolsonaro e duramente criticado pela comunidade LGBT, que tem uma péssima relação com o deputado. Comunidade essa que também não tem uma boa relação com o corte de suas liberdades e direitos básicos.

Jair Bolsonaro, que está agora no Partido Ecológico Nacional (PEN) já que o Partido Social Cristão (PSC) não o lançaria como candidato a presidente em 2018, comemorou o vídeo e já mandou uma resposta. Ele agradece e concorda com a dupla, e conclui que adoraria bater um papo com elas um dia.


2 COMENTÁRIOS

  1. quando duas mulheres negras lésbicas que se formaram na pobreza e abandono declaram apoio ao discurso que busca destruir diretamente e mais intensamente a vida e liberdade delas (muito mais do que de muitos de nós que estamos aqui discursando) fica bem explícito que não se trata de pessoas que a gente possa isolar, julgar, condenar. não é uma questão de pessoas ruins se revelando pra gente poder excluir com “perdeu meu respeito”, “não vejo mais”, “não escuto mais”… isso é perigosamente reducionista.

    o trump não chegou ao poder só com votos de homens brancos misóginos fascistas racistas e afins.

    sabe aquela história….o oprimido vira opressor? então…

    simplificar as coisas é condenar qualquer chance do mundo.
    não é bolsonaro. não é trump. não é pepê e nenem. é muito importante discutirmos em termos mais amplos e complexos pra sair do lugar.

    me dá um desespero e desesperança tão grande….não pelo péssimo que está tudo mas pelo longe que a gente tá de ao menos conversar propriamente sobre.

DEIXE UMA RESPOSTA