Nova lei que obriga baladas a cobrarem preços iguais para homens e mulheres gera reclamações

Nova lei que obriga baladas a cobrarem preços iguais para homens e mulheres desagradou estabelecimentos e ativistas LGBTs (FOTO: Slate)
Nova lei que obriga baladas a cobrarem preços iguais para homens e mulheres desagradou estabelecimentos e ativistas LGBTs (FOTO: Slate)

Os ativistas Marcio Claesen e Welton Trindade, editores do site Guia Gay, questionaram ao Procon-SP a recente decisão do Ministério da Justiça em proibir festas e casas noturnas de cobrarem preços diferentes de entrada para homens e mulheres. O padrão atualmente nos estabelecimentos gays é a cobrança de preços mais elevados para as mulheres: assim as festas acabam ficando com mais frequentadores homens.

O jornalista Welton Trindade, defende a prática e argumenta que diferenciar preços não é um padrão exclusivo de festas gays“Em festas lésbicas, o preço mais alto para homens evita clientes que “têm fetiches”, afirma Trindade.


DEIXE UMA RESPOSTA