Mapa revela índices de mortes a pessoas trans no Brasil em 2017

Ceará lidera o ranking de assassinatos a pessoas trans no Brasil em 2017
Ceará lidera o ranking de assassinatos a pessoas trans no Brasil em 2017 (Foto: Divulgação/Antra)

A Assossiação  Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) divulgou o Mapa de Assassinatos de Pessoas Trans no Brasil, que contabilizou um total de 91 mortes, entre travestis, homens e mulheres trans desde o começo do ano até o início de julho. O levantamento também aponta quais os estados  com a maior taxa de assassinatos a este grupo.

De todos os homicídios registrados, 11 foram no Ceará e 10 em Minas Gerais. Seguido do Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia que ocupam a mesma posição, com 8 mortes cada. Também empatados estão o Pará, Pernambuco e Paraná, com 6 cada, e Paraíba com 5. Goiás, Rio Grande do Sul e Mato Grosso chegam na lista com 3 mortes cada; Alagoas, Espírito Santo, Santa Catarina e Sergipe ficaram com 2, e Amazonas, Distrito Federal, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rio Grande do Norte e Tocantins com 1.

É importante ressaltar que o Mapa foi criado com base em dados oficiais e divulgados pela mídia, o que significa que o número real deve ser muito maior. Não há uma classificação para crimes motivados por transfobia, nem mesmo por homofobia, o que faz com que muitos assassinatos de pessoas trans no Brasil não entrem em estatísticas oficiais. O próprio sistema, ao não respeitar o nome social dessas pessoas, a mata duas vezes, ao invisibilizar a sua existência.

“Intencionalmente desqualificam a motivação real e acabam tipificando como motivo torpe ou qualquer outro que não caracterize como crime de ódio. Mas alguém que dá 25 tiros em uma única pessoa quer matar até a sua alma”, afirma Benevides, responsável por colher os dados da pesquisa.


DEIXE UMA RESPOSTA