Líder muçulmano pede que indonésios boicotem Starbucks por posicionamento pró LGBT

Líder muçulmano na Indonesia quer proibir Starbucks de funcionarem no país
Líder muçulmano na Indonesia quer proibir Starbucks de funcionarem no país (Foto: Inside Retail Asia)

O líder da segunda maior organização muçulmana da Indonésia deseja que a nação revogue todas as licenças de funcionamento das cafeterias Starbucks do país. A motivação é pelo fato da empresa norte-americana manter uma posição pró LGBT. O líder afirma que o posicionamento da rede de cafeterias pode destruir o núcleo “religioso e cultural” do sudoeste asiático. A Indonésia é o país com a maior população muçulmana do mundo, onde a homossexualidade é proibida apenas na província ultra-conservadora de Aceh. Mas operações policiais contra a comunidade LGBT tem aumentado recentemente no país.

Anwar Abbas, da Muhammadiyah, organização que possui cerca de 30 milhões de membros, afirmou a Reuters que: “Se a Starbucks somente faz negócios, tudo bem. Mas não traga sua ideologia para cá”. Abbas começou sua campanha contra a Starbucks após 2013 quando passou a ficar ciente das declarações a favor do casamento LGBT do presidente da empresa Howard Schultz.

Um executivo que possui a licença para administrar a rede Starbucks, afirma que a empresa “é uma entidade legal que sempre obedece as legislação vigente e que aprecia os valores culturais na Indonésia”, afirmou o funcionário da rede de cafeterias. As informações são do site Extra.


DEIXE UMA RESPOSTA