Jovem acusa policial de agressão por ser gay

Andrei Apolônio relata ter sido espancado por policial em delegacia
Andrei Apolônio relata ter sido espancado por policial em delegacia (Foto: Reprodução/Globo)

Andrei Apolônio dos Santos, de 23 anos, foi até um delegacia em Niterói, no Rio de Janeiro para registrar a ocorrência de um furto de celular. Dias depois, ele registrou uma nova ocorrência, contra um policial que o agredira na primeira ocasião. Segundo ele, a violência foi motivada por sua orientação sexual.

Andrei contou, para o RJTV, que um dos policiais de plantão o agrediu por uma hora, com motivações homofóbicas. “Eu cheguei e ele já começou a agressão com palavras homofóbicas e tapas no pé da orelha, que me deixaram com muito medo”, declarou ele. O resultado foram hematomas, escoriações e três dentes quebrados.

Leia Mais:


Uganda tem projeto de lei que prevê pena de morte para LGBTs

Gravações do reality, A Casa forma casais gays, diz site

“Ele não quis fazer meu B.O. [boletim de ocorrência]”, prosseguiu Andrei. “Dava para ver que ele estava incomodado com quem eu era. Ele achou uma afronta eu ser gay e obrigar ele trabalhar às 4h da manhã”. O jovem também afirmou que o policial disse querer “gastar um pente inteiro de munição” nele.
A homofobia institucional (quando ela está presente nas estruturas da sociedade, como em instituições de direitos básicos, como delegacias ou hospitais) é uma das razões pelas quais casos de violência homofóbica são pouco contabilizados. Nesta segunda-feira (17), a Corregedoria Interna da Polícia Civil do Rio de Janeiro garantiu que irá realizar o reconhecimento do policial acusado.

DEIXE UMA RESPOSTA