Jogadoras denunciam Federação Mexicana de Futebol por proibir lésbicas nos clubes

Jogadoras denunciaram Federação Mexicana de Futebol
Jogadoras denunciaram Federação Mexicana de Futebol (Foto: Reprodução)

A Federação Mexicana de Futebol (FEMEXFUT) se envolveu em uma polêmica, ao serem divulgadas algumas cláusulas do contrato das jogadoras da modalidade feminina do país. Dentre as exigências estaria a proibição das meninas engravidarem e também que elas garantissem que não são homossexuais.

Uma das atletas, afirmou em sigilo ao jornal La Jornada, que os artigos abusivos, de fato, existe. “As restrições à maternidade estão no formato base do contrato que a federação está a enviar aos clubes e que as jogadoras têm de assinar”, contou.

Leia Mais:


Doctor Who terá sua primeira protagonista mulher e lésbica em nova temporada

Clientes recusam atendimento de garçonete lésbica em BH

Em outro trecho da entrevista, a futebolista diz que caso uma das cláusulas sejam quebradas, podem ter o contrato rescindido. “se qualquer jogadora engravidar, o contrato poderá será rescindido unilateralmente. E não darão qualquer apoio médico ou qualquer benefício que os trabalhadores têm direito por via da lei”, denunciou.

Em sua defesa, a FEMEXFUT negou as acusações, e disse que não há em nenhum ponto do contrato a afirmação que “a gravidez possa ser um motivo para que um clube possa quebrar contratos ou não cumprir com as suas responsabilidades”. A entidade ainda informu que as atletas tem direito “a um seguro que cubra gastos médicos, o que deverá ser assegurado pelo clube”.

 


1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA